2095 estudos - 4 abençoado(s) conectados - 666065 acessos - Contato
Procure seu estudo
Através dos títulos
No interior dos textos
Menu
Página inicial
Quem sou
Contatos e Endereços
Deixe o seu depoimento
Sites que indicamos
Galeria de fotos
Galeria de vídeos
Colunistas deste site
Crenças e religiões
Estudos bíblicos
Perguntas e Respostas
Pesquisas
Poesias
Testemunhos
Variedades
Loja Virtual
Destaques
free counters

Traduza o site
Maria, mãe de Jesus, teve outros filhos?
Tipo: Perguntas e Respostas / Autor: Pr. Airton Evangelista da Costa


Além de Jesus, gerado de forma sobrenatural, a santa Maria teve, no mínimo, seis filhos: duas mulheres e quatro homens. Vejam:

“Não é este o filho do carpinteiro? E não se chama sua mãe Maria, e seus irmãos, Tiago, e José, e Simão, e Judas? E não estão entre nós todas as suas irmãs?” (Mt 13.55-56; v. 12.46; Mc 6.3; Lc 8.19-20). Considerando que “irmãs” está no plural, entende-se que no mínimo foram duas. A afirmação bíblica é clara, objetiva e precisa.

Há na Bíblia uma clara distinção entre ser discípulo e ser irmão de Jesus: “Depois disso, desceu a Cafarnaum, Ele, sua mãe, seus irmãos e seus discípulos, e ali ficaram apenas alguns dias” (Jo 2.12; v. At 1.13-14). A Bíblia de Jerusalém, aprovada pelo Vaticano, comenta: “O apóstolo Judas é distinto de Judas, irmão de Jesus (cf. Mt 13.55; Mc 6.3) e irmão de Tiago. Não se deve também, parece, identificar o apóstolo Tiago, filho de Alfeu, com Tiago, irmão do Senhor (At 12.17; 15.13, etc.)”. Outra distinção está em 1 Coríntios 9.5: “Não temos o direito de levar convosco, nas viagens, uma mulher cristã, como os outros apóstolos e os irmãos do Senhor e Cefas?”. E mais: “Não vi nenhum apóstolo, mas somente Tiago, o irmão do Senhor” (Gl 1.18-20).

Os discípulos criam em Jesus, ao contrário de seus irmãos: “Pois nem mesmo os seus irmãos criam nEle” (Jo 7.5).

José só teve relacionamento físico com Maria depois do nascimento de Jesus: “E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe o nome de JESUS” (Mt 1.25).

A Bíblia de Jerusalém, aprovada pelo Vaticano, comenta Mateus 1.25: “O texto não considera o período ulterior [depois do parto] e por si não afirma a virgindade perpétua de Maria, mas o resto do Evangelho, bem como a tradição da Igreja ,a supõem”. Isto é, reconhece o óbvio, mas afirma que a Tradição “supõe”.

Outro comentário semelhante, também em Bíblia Católica: “Enquanto (ou até que): esta palavra portuguesa traduz o latim donec e o grego heos ou, que por sua vez estão calcados sobre a expressão hebraica ad ki que se refere ao tempo anterior a esse limite, sem nada dizer do tempo posterior, cf. Gn 8.7; Sl 109.1; Mt 12.20; 1 Tm 4.13. A tradução exata seria: Sem que ele a tivesse conhecido, deu à luz...”, pois a nossa expressão “sem que” tem o mesmo valor” (Bíblia Sagrada, Edição Ecumênica, tradução do padre Antonio Pereira de Figueiredo; notas e dicionário prático pelo Monsenhor José Alberto L. de Castro Pinto, bispo auxiliar do Rio de Janeiro, edição aprovada pelo cardeal D. Jaime de Barros Câmara, Arcebispo do Rio de Janeiro, BARSA, 1964).

26.07.2007
Para maiores detalhes:
“Os Irmãos de Jesus”
www.palavradaverdade.com/print2.php?codigo=1939


Este artigo te tocou? Envie-nos uma mensagem!
Seu nome:..
Seu email:..
Comente o artigo:..
..Quem escreveu o artigo acima?
Pr. Airton Evangelista da Costa